7 lições da Noruega para montar equipes triunfantes

A Noruega foi, sem dúvidas nenhuma, o grande destaque dos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang 2018, que acabaram há pouco mais de 1 mês. Mas como um país de pouco mais de 5 milhões de habitantes conseguiu sair na frente de todos os outros na quantidade de medalhas?

Pegue, por exemplo, a quantidade de medalhas ao longo de todas edições da competição. Você verá que a Noruega possui 20% mais medalhas do que os EUA, o segundo lugar no ranking. Isso mesmo com uma população que não representa nem 3% da americana. Como é possível essa discrepância?

É claro que a Noruega é um dos países mais ricos do mundo, o que, por si só, já é parte da explicação. Além disso, ela é conhecida não somente por ter vikings, alces e o Big Mac mais caro do mundo, mas também pela quantidade de neve que cai por lá – o requisito fundamental para jogos de inverno.

Mas existem outros fatores que ajudam a explicar o êxito norueguês. Não só isso, mas esses fatores também servem como lição de motivação e liderança para qualquer tipo de equipe. Inclusive a sua, no seu próprio trabalho. Veja abaixo o que a Noruega nos ensina sobre formação de equipes:

Já conhece a Audible? Aumente sua produtividade ouvindo livros em qualquer lugar. Cadastre-se aqui e receba 2 livros grátis para testar o app.

1 – Na Noruega, o espírito de equipe vem sempre em primeiro lugar

Lá as crianças não são estimuladas a competirem umas com as outras até que sejam adolescentes. O país acredita que é melhor condicionar as crianças assim porque elas podem se concentrar em se divertir, estar com seus amigos e se desenvolver melhor.

A equipe alpina masculina da Noruega faz praticamente tudo juntos. Não há segredos em termos de táticas ou técnicas individuais na equipe, eles compartilham tudo o que sabem. Dessa forma, ganham medalhas juntos. Eles se dão tão bem e sentem um espírito tão forte de coleguismo que até compartilham camas às vezes.

2 – Tolerância zero para pessoas babacas

Em seu livro “The No Asshole Rule“, Robert Sutton mostra que mudar o comportamento dos idiotas da equipe ou, em última instância, eliminá-los, é requisito para aumentar a produtividade e bem-estar do restante do grupo. É mais ou menos isso que tentam fazer os técnicos das equipes norueguesas.

Se o atleta não for capaz de respeitar e conviver bem com os outros ele está fora, por mais habilidoso que seja.

3 – Humildade e respeito são as virtudes mais importantes

No país praticamente não há estruturas de classe. Isso vale também para o esporte. Atletas com maiores habilidades, diferentes idades ou mais conquistas não ganham privilégios ou tratamentos superiores. Não há novatos e nem campeões no time. Nos momentos de alimentação, os noruegueses sempre tentam comer juntos.

Raramente ficam em hotéis 5 estrelas, e só ficam em quartos simples quando há um número ímpar de atletas. Por lá, todos são iguais.

Além disso, o tecido social do grupo é primordial. Inclusive há um ditado norueguês que diz: “não há quase nenhuma habilidade que você possa ter que seja tão boa que permita arruinar as qualidades sociais da equipe.”

Como eles passam praticamente o ano inteiro juntos, a sua vida fora da neve tem que ser muito boa. Portanto, lá você fala um com o outro, e não um sobre o outro.

4 – O foco não deve ser vencer acima de tudo

O desenvolvimento de talentos nunca é um processo fácil, especialmente nos esportes. Muitas vezes as crianças podem ser pressionadas por treinadores e pais, gerando distúrbios para o futuro. Na Noruega, as crianças são encorajadas a se juntarem a clubes esportivos locais para ajudar em seu desenvolvimento social. Entretanto, há regras rígidas que impedem qualquer um de marcar pontos. Ninguém pode ser classificado de primeiro a último até completar 13 anos.

O objetivo é que elas pratiquem esportes porque querem e não por pressão ou para vencerem. O foco está em outros aspectos, não no lado competitivo. Em vez disso, os jovens devem se divertir e se desenvolver não apenas como atletas, mas como pessoas sociais. O que o país realmente quer é deixar as crianças criarem e seguirem seu próprio caminho.

5 – Cuidado com a pressão

Quando adultos, o controle para evitar a pressão sobre os atletas é fundamental para a alta performance deles. Os treinadores, por exemplo, não informam aos atletas quanto eles pesam. É muito perigoso, pois eles podem desenvolver distúrbios alimentares. De forma geral, os noruegueses não ficam monitorando os outros na hora da realização de tarefas. Eles assumem que o outro já sabe sua responsabilidade e não precisa ser lembrado.

6 – Não há premiação em dinheiro

Os noruegueses entenderam que a melhor forma de motivar os atletas é não dando premiação em dinheiro ou qualquer compensação pelo sucesso por parte das federações. Ou seja, quer recebam uma medalha de ouro ou o último lugar, eles saem de lá apenas com o salário.

A ideia é que prêmios podem acabar gerando incentivos distorcidos para seus atletas, fazendo-os se tornarem pessoas diferentes do que gostariam ou deveriam ser. Para eles, o atleta precisa querer ganhar em seu esporte não porque vai ficar mais rico, mas porque tem uma motivação intrínseca.

7 – Sexta à noite é noite de taco

Comer tacos nas sextas-feiras é uma tradição antiga norueguesa. No esporte, há uma regra não-oficial entre as equipes onde todos os atletas aproveitam esses momentos para trazerem a família para comer com eles. Pode parecer brincadeira, mas isso serve como forma de gerar rotinas e tradições que possibilitam o convívio social entre atletas e famílias. Isso desenvolve ainda mais o espírito de equipe e, consequentemente, os resultados obtidos.

  ***

É inegável que a Noruega é um dos países mais desenvolvidos e igualitários do mundo. Isso se reflete não apenas no seu desenvolvimento econômico-social interno, mas também no incrível sucesso nos esportes. Junte um país onde as crianças são treinadas desde cedo a colaborarem umas com as outras, a uma quantidade enorme de montanhas e neve, e você tem um país recordista em medalhas nos Jogos Olímpicos de Inverno.

Com o exemplo norueguês é possível ver que o desenvolvimento de equipes não se dá por acaso. É necessária uma série de estratégias e cuidados para se formar equipes de sucesso. No Brasil, sem dúvidas, ainda temos muito a aprender com os nórdicos, para que, um dia, ainda possamos ser uma nação mais desenvolvida.

Agora, você pode começar o processo de transformação do nosso país se tornando um líder melhor para sua equipe. Mas, antes disso, você precisa aprender a ser líder. Portanto, se quiser desenvolver melhores habilidades profissionais, recomendo que faça um curso na Udemy, a maior plataforma de cursos online do mundo.

Eles tem todos os tipos de cursos, ensinados pelos melhores profissionais. Seja liderança, photoshop ou programação, tenho certeza que você encontrará um  que se adeque às suas necessidades.

Acesse esse link e obtenha os melhores cursos da plataforma por somente R$ 21. Mas corre que faltam apenas alguns dias para a promoção acabar.

 

►► Gostou do artigo? Te convido a se inscrever no meu newsletter, onde você receberá toda sexta-feira um resumo de tudo que aconteceu de relevante na semana sobre negócios, empreendedorismo e carreira ◄◄

Comente com seu facebook

Os comentários estão encerrados.