Por que aprendi mais no Shark Tank do que no Mestrado

Eu não assisto televisão há mais de 4 anos, salvo 3 programas:  Trato Feito (Pawn Stars), O Sócio (The Profit) e Shark Tank. Quem não conhece os três, desliga o que quer que você esteja assistindo e mude de canal urgente. E é exatamente sobre esse último que eu vou falar.

No Shark Tank, os participantes são aspirantes a empreendedores e possuem algum produto, negócio ou ideia do qual eles farão um “pitch” para os investidores “tubarões” (que são os apresentadores do programa). E é aí que a coisa pega: ao final da apresentação os participantes são bombardeados de perguntas sobre todos os tipos: desde a parte financeira até informações sobre os competidores.

Quem está preparado se dá bem e recebe bons investimentos. Quem não está, sofre. Alguns até choram no final, devido ao nervosismo. Você precisa ter sangue frio.

No Brasil, a versão americana do programa é exibida pelo TLC. Agora, uma versão brasileira deverá sair pelo Canal SONY e, sem dúvidas, não perderei.

E o que é bom nesse programa é que ele mostra a vida real nua e crua, todos os desafios enfrentados por empreendedores e o que você precisa passar para conseguir apoio no seu projeto. Enquanto no mestrado aprendi muita teoria – não me entendam mal, a teoria é fundamental também – no Shark Tank você vê a prática, que é o que falta em qualquer curso acadêmico. Treino é treino e jogo é jogo!

Se você quer saber mais sobre o programa, sugiro a leitura do livro “Shark Tank Jump Start Your Business”. Ele está recheado de conselhos práticos e dicas dos próprios tubarões sobre como apresentar seu negócio e conseguir investimento.

É um livro básico, porém imperdível para quem quer começar um negócio próprio ou desenvolver o já existente. Mostra dicas de como se desenvolver no mundo do empreendedorismo, além de estar repleto de inspiradoras histórias de vida dos participantes. Portanto, se você é empreendedor, esse livro deverá estar na sua lista de leitura impreterivelmente.

Agora, veja só o naipe dos tubarões:

Mark Cuban

Esse é um cara que me inspira demais. Dono do Dallas Mavericks (time da NBA), entre muitos outros negócios, começou a vida trabalhando de bartender e, após começar seu primeiro negócio – uma companhia de eletrônicos – não parou de ganhar dinheiro. Hoje ele é um bilionário excêntrico que sabe aproveitar a vida.

Recentemente li seu livro “How to win at the sports of business” (OUTRO QUE RECOMENDO FORTEMENTE) e certamente aprendi muito. São coisas que você nunca vai ler num livro de faculdade, por exemplo.

A mensagem que ele passa é que as pessoas se acomodam muito fácil. Se você realmente botar seu coração e seu tempo para se aperfeiçoar em algo, você se destacará naquilo. Sempre procure melhorar e aprender, senão será passado para trás.

Como lição de liderança, ele argumenta que grandes líderes não esperam as coisas acontecerem. Eles são proativos e tomam  controle da sua vida e carreira.

Kevin O’Leary

É o tubarão protagonista do show, respeitado pelos demais e pelos participantes – não a toa é chamado de Mr. Wonderful. Ele é o primeiro a dizer na lata se sua ideia é um sucesso ou é simplesmente idiota.

Com o sonho de ser fotógrafo, ele começou a carreira na Nabisco, onde conseguiu aumentar bastante as vendas de um dos produtos da marca. A partir daí fundou sua empresa Softkey, que se tornou uma das principais empresas do ramo de softwares educacionais do mundo.

Ele foi o investidor que mais vezes participou do programa e é um cara direto e perspicaz. Aprendi duas coisas importantes com ele:

  • A competição é seu verdadeiro inimigo: você tem que ser sempre melhor que eles, conhecendo-os bem e se preparando para agir em função de suas ações.
  • As pessoas acreditam na liberdade. É a coisa que as pessoas mais querem no mundo. Por isso o programa Shark Tank é um sucesso. Saiba explorar a liberdade das pessoas e você seguirá o mesmo caminho

Daymond Jhon

Começou a vida realizando transporte em vans, após concluir o ensino médio. Hoje é dono de uma marca que vale 6 bilhões – a FUBU – e é um aclamado palestrante.

Muitos espectadores podem achar que o programa é mentiroso, que os caras só contam histórias de sucesso e omitem os fracassos e que os participantes só se dão bem por causa da publicidade do show. Mas Daymond revela que na primeira temporada ele perdeu 1 milhão de dólares investido nas pessoas erradas.

banner-saraiva-meliuz

A lição que fica: uma boa ideia não é suficiente para o negócio virar um sucesso, se não há uma pessoa competente, motivada e determinada a trabalhar duro nela.

Além disso, saiba lidar com seus fracassos. Até os grandes erram – e muito. Não é porque o investidor está ali numa posição de superioridade que ele é dono da verdade.

Barbara Corcoran

Assim como os outros, ela começou simples. Pegou mil dólares emprestados com o namorado e abriu uma empresa no setor de imóveis e depois passou a fornecer relatórios sobre tendências no mercado imobiliário de Nova York.

Indo na mesma linha de pensamento do Daymond Jhon, a investidora conta o que mais a influencia em investir num negócio: o empreendedor. Não é a ideia, é a pessoa que vai executar a ideia é que importa! Empreendedores bons são os que são resilientes. Se tomam uma porrada, logo se erguem novamente. Quanto melhor você lida com o fracasso, maior o seu sucesso.

Robert Herjavec

Filho de imigrantes croatas, que saíram do país por perseguição política, ele teve dificuldades em se adaptar ao Canadá, para onde foram. Aos 8 anos não falava inglês e sofria bullying das outras crianças. Mas isso só o fez virar uma pessoa forte e nunca disposta a se acomodar.

Trabalhou em vários empregos com salário mínimo antes de conseguir um emprego numa empresa chamada Logiquest. Saindo de lá, abriu uma empresa de segurança na internet e logo a vendeu por 30 milhões de dólares. Hoje é dono de um dos maiores grupos de tecnologia do Canadá.

É dele que surge outra lição essencial: esqueça a opinião de quem não está relacionado ao seu negócio. Foque só em quem seria um potencial cliente ou investidor, pois são eles que vão fazer do seu negócio um sucesso ou um fracasso. Palpites de leigos podem ser mortais!

***

Bom, fica aí um pouco do que aprendi assistindo Shark Tank. Qual universidade me ensinaria isso? Não conheço nenhuma!

O Shark Tank simplesmente mostra que empreendedores não nascem com o sucesso, eles adquirem ao longo da vida. Todos esses tubarões nasceram em famílias humildes e se tornaram multimilionários na perseverança. Por isso, eu nunca entendo quando alguém diz “você correr atrás disso é maluquice, você não nasceu empreendedor” e coisas do tipo.

Não estou dizendo que todas as pessoas são capazes de obter sucesso, independente de quanto se dediquem. Mas quem obteve sucesso certamente não foi por ficar parado esperando as coisas caírem dos céus.

A primeira temporada brasileira está chegando em breve. E, se você quer aprender algo do mundo dos negócios, fica aí a sugestão! Já assistiu ao programa? Diz aí o que você achou!

 

►Curtiu o texto? Te convido a entrar na minha lista VIP de emails, para receber 1 vez por semana minhas informações privilegiadas sobre o mundo do empreendedorismo e atualizações sobre meu artigos mais recentes◄

Comente com seu facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *