O grande problema dos carros elétricos – ARGUTIA #27

Argutia – Empreendedorismo, Negócios e Carreira

17 de agosto de 2018

Um fato menos noticiado do que o trilhão da Apple foi que ela perdeu uma posição no marketshare de celulares para uma empresa que tem uma grande desvantagem. A chinesa Huawei já é a segunda em participação no mercado mundial de smartphones, mesmo sendo virtualmente impedida de operar nos EUA por causa de preocupações de que os dados dos usuários possam ser acessados pelo governo chinês. A Samsung permanece na liderança.

Elon Musk quer fechar o capital da Tesla e afirmou no Twitter que está “considerando tornar a Tesla privada a US$ 420”. Isso exigiria US$ 71,3 bilhõescaso todos acionistas resolvessem vender suas ações. O negócio, entretanto, não deve vir dos EUA, mas da Arábia Saudita. Musk afirmou que não venderá seus 20% da empresa.

A GM fechou acordo direto com uma rede de seis hospitais em Detroit, sua terra natal, para atender seus funcionários. O objetivo é cortar os custos fora de controle do sistema de saúde, eliminando a seguradora do processo. Nesse modelo, as empresas negociam preços melhores e metas de custo e qualidade. No tradicional, os empregadores não conhecem os custos envolvidos e os hospitais são remunerados pelo volume de atendimentos e serviços prestados, o que cria incentivo ao desperdício.

O Deezer recebeu um aporte de US$ 185 milhões e já está valorado em US$ 1,2 bilhão. O serviço francês de streaming de música, concorrente do Spotify, tem como estratégia buscar conteúdos regionais e focar sua expansão em mercados como América Latina, Ásia e África.

A cidade de NY votou a favor da limitação de veículos de aluguel de serviços e se tornou a primeira cidade americana a restringir carros de carona compartilhada. Esse foi um duro golpe para empresas como Uber e Lyft, que alegam que haverá uma piora no serviço prestado.

A Xiaopeng Motors já vale US$ 4 bilhões, mas tem um problema: a startup chinesa de veículos elétricos nunca entregou um carro sequer a seus mais de 6 mil clientes que já fizeram a compra no começo do ano.

A Tiger Global vai zerar sua posição na Decolar.com, 11 meses depois da empresa fazer uma estreia na Bolsa de Nova York em meio a uma nítida piora operacional. A Tiger, que tem 43,7% da maior agência online de viagens da América Latina, vai vender todas as suas ações.

A Resultados Digitais anunciou a compra da Plug CRM, desenvolvedora de ferramentas de CRM (Customer Relationship Manager), também para PMEs. A aquisição é a primeira na história da empresa, líder no desenvolvimento de software (SaaS) voltado para o setor. O mercado de CRM está projetado para crescer 16% em 2018 e já se tornou o segmento com crescimento mais acelerado dentro da indústria de software.

A compra de alimentos em plataformas digitais tem projeção de crescimento de 17,4% até 2022, representando US$ 44,5 bilhões no mundo atualmente. No Brasil, as vendas pelo canal registraram US$ 75 milhões, com participação de 0,2% em relação aos demais canais de compra. Até 2022, a expectativa é que o canal online avance 6,5% no país.

A Havaianas lançou uma versão inspirada nos personagens do Mario Bros. Os produtos já estão disponíveis nas lojas de todo o Brasil com a temática de personalidades como Mario, Luigi, princesa Peach, Yoshi, entre outros. Algumas versões possuem uma estampa com a frase “Mamma Mia”, dita pelo protagonista da série.

A Drogaria Onofre vai começar a carregar o nome da controladora CVS Health, depois de 5 anos da aquisição. Nas próximas semanas inaugurará uma loja modelo, chamada Onofre CVS Pharmacy. A unidade será a mais automatizada da rede, com robôs, self check-out e farmacêuticos voltados para a prestação de serviços.

O Grupo Abril entrou com pedido de recuperação judicial citando dívidas de R$ 1,6 bilhão. O pedido deve ser analisado por um juiz nas próximas semanas e, uma vez aprovado, o plano de recuperação judicial será apresentado num prazo de 60 dias aos credores da companhia

A Amazon começará a vender roupas no Brasil. A empresa, que no país já oferece livros, eletrônicos e artigos para casa no modelo de marketplace, passará a competir com marcas como Dafiti, Zattini e Passarela.

Nos EUA, a empresa está negociando a compra de uma rede de cinemas. A operação marcaria mais uma incursão da empresa no mundo físico, depois da compra do Whole Foods.

O grupo Carrefour dará mais espaço aos alimentos naturais, explorando a tendência da alimentação saudável no país. Baseando-se no segmento que faturou R$ 93 bilhões no ano passado, o varejista reformará suas 103 lojas para instalar corredores específicos de comidas inalteradas

Sem recursos. A Capes, CNPq e Finep alertaram que a prevista redução no repasse de recursos para ambas em 2019 ameaça os investimentos em pesquisas no país. A previsão para 2019 é de um terço a menos do que em 2018.

A Verizon será a primeira a lançar o serviço de 5G nos EUA, em 4 estados selecionados. Ao adquirirem o plano, clientes poderão escolher receber gratuitamente uma assinatura do Youtube TV ou da Apple TV.




Análise da semana

Quanto realmente vale o mercado de veículos elétricos na China? Apoiada pelo Alibaba – um dos maiores grupos do país – a Xiaopeng Motors já vendeu 6 mil carros desde o começo de 2018, mas até então não entregou nenhum. Agora, acabou de receber um novo investimento de meio bilhão de dólares e diz que entregará mil carros até o final do ano.

A Xpeng é apenas uma das dezenas de startups de veículos elétricos que surgiram nos últimos anos no país, que concentra metade das vendas mundiais desses veículos. A NIO, por exemplo, que é apoiada pelo Baidu e abriu capital recentemente nos EUA, adiou a entrega dos seus carros em abril.

Se por um lado o governo chinês subsidia essas empresas e cria um protecionismo interno, por outro, elas ainda não demonstraram como atenderão o planejamento de eliminar a produção de carros com combustíveis fósseis até 2025 no país. Não é apenas a Tesla que vem encontrando dificuldades de acelerar sua produção.

Seria essa nova onda dos veículos elétricos uma nova bolha de marketing em vez de um comprometimento real com a sustentabilidade? Essa preocupação não é nova. Na verdade, já vem de alguns anos para cá, mas recentemente tem se tornado mais pertinente.

Por falar em Tesla, a manobra de Musk de falar que vai transformar a empresa em privada rendeu processos à empresa e ao próprio CEO. Em uma das ações, o autor alega que os tweets de Musk foram falsos e direcionados para prejudicar os “short sellers”. Esses tipos de ações são relativamente comuns nos EUA.

— Daniel Scott

 Para ler e assistir

 

RECEBA O ARGUTIA TODA 6ª EM SEU EMAIL

PERDEU ALGUMA EDIÇÃO ANTERIOR?




Comente com seu facebook

Os comentários estão encerrados.