Reino Unido pode ficar sem cerveja – ARGUTIA #21

Argutia – Empreendedorismo, Negócios e Carreira

29 de junho de 2018

A Amazon está investindo no ramo farmacêutico, através da aquisição da PillPack. A empresa promete o fim de cartelas com pílulas excedentes, criando embalagens com as exatas doses necessárias de acordo com a prescrição. Fundada em 2013, especulava-se que seria comprada pelo Walmart por menos de US$ 1 bilhão. Mas as coisas mudaram em janeiro, quando a Amazon fez uma parceria com o JP Morgan e a Berkshire Hathaway para reduzir custos com planos de saúde dos funcionários.

Fim da mídia impressa? A Berkshire Hathaway anunciou que terceirizará a gestão do BH Media Group, seu braço de mídia que abriga 100 produtos editoriais, incluindo 31 jornais diários locais e mais 47 semanais. A Lee Enterprises assumirá a administração em troca de uma comissão anual de US$ 5 milhões, mais um percentual dos lucros.

A chinesa Meituan Dianping abrirá uma IPO buscando US$ 6 bilhões. A companhia de e-commerce oferece praticamente todos os serviços necessários para o dia-a-dia, como corte de cabelo, ingressos de cinema, babás e até aulas de yoga. Fruto de uma fusão feita em 2015, 20% de suas ações são detidas pela Tencent e seu crescimento foi de 750% entre 2015 e 2017. Se conseguir o esperado, atingirá um valor de mercado de US$ 60 bi.

Ainda na China, o Google investiu US$ 550 milhões na rival chinesa da Amazon, a JD.com, seguindo na sua estratégia de expandir a presença no mercado asiático. O objetivo é trazer os produtos da JD no serviço de compras do Google, expandindo a atuação da empresa para os EUA e Europa. O serviço de buscas está bloqueado no país desde 2010.

O Instagram atingiu um valor estimado de US$ 100 bilhões, 100 vezes maior do que o pago pelo Facebook em 2012. Recentemente, a empresa anunciou ter chegado a 1 bilhão de usuários ativos, e esse número pode dobrar em 5 anos. Cerca de 30% da receita do Facebook com anúncios móveis vêm do app.

Seis investidores do Facebook estão querendo se livrar da ditadura de Mark Zuckerberg e mudar a estrutura da governança no Facebook. Para eles, que detêm US$ 3 bilhões em ações, as polêmicas das eleições e o escândalo da Cambridge Analytica foram o estopim. Ainda assim, Zuckerberg controla mais de 75% das ações classe B, então seu poder é amplo dentro da companhia.

Enquanto isso, representantes do Twitter e Facebook se reuniram “secretamente” com republicanos para discutir um possível viés das redes sociais pró-democratas, censurando opiniões políticas conservadoras e removendo seguidores de figuras públicas e políticos do partido. O medo das empresas é que o setor se torne regulamentado no futuro.

Como você pode ter certeza que uma foto não foi photoshopada? A startup Truepic desenvolveu uma ferramenta que adiciona uma marca d’água com um URL que direciona para a imagem original, com a qual o usuário pode fazer uma comparação. O objetivo para o futuro é detectar vídeos feitos por IA que parecem ser de humanos (especialmente para se criar pornografia falsa). A startup já conseguiu US$ 10,5 milhões em investimento.

Foram prorrogadas as inscrições do curso Criatividade para Inovação, uma iniciativa do novo portal educacional Argutia Academy. Totalmente online e apresentado em tempo real, ele traz uma imersão em técnicas e metodologias para que você se torne mais original, seja capaz de produzir ideias inovadoras e estabeleça uma cultura criativa na sua empresa. Confira mais informações. (link patrocinado)

Um-beer-lievable! Com uma escassez na oferta de gás natural – matéria-prima para produzir amônia – na Europa, o preço disparou, despencando a cotação da amônia. Sem amônia, fábricas de fertilizante ficaram paradas, deixando de gerar seu subproduto, o dióxido de carbono – usado em cervejas e refrigerantes. Com isso, os fabricantes dessas bebidas estão com produção limitada, e alguns varejistas já implementaram um limite de venda por consumidor. A situação está crítica na Europa, sobretudo no Reino Unido, onde só há uma fábrica de amônia. A escassez de gás também pode causar falta de oferta de frango, pois é utilizado no processo de abate e embalagem.

A Nielsen está próxima de comprar a consultoria Ebit, do Buscapé, fortalecendo sua atuação no comércio eletrônico. A operação foi aprovada sem restrições pelo CADE. Comprada pelo Buscapé em 2006, a Ebit é a consultoria de ecommerce mais tradicional do Brasil.

A Webmotors comprou 51% da LOOP, subsidiária da Estapar que promove leilão de veículos usados, principalmente para frotistas. A operação une a Webmotors a uma empresa que se beneficia da presença física e capilaridade da Estapar. A LOOP organiza leilões para venda rápida, onde os vendedores normalmente aceitam vender o carro com desconto em relação ao preço de mercado.

A confiança do consumidor no Brasil atingiu o menor nível em 10 meses, apontando impacto negativo no crescimento econômico no segundo semestre. A greve dos caminhoneiros do final de maio contribuiu para isso.

 Segundo a Firjan, apenas 7,9% dos municípios brasileiros têm alto índice de desenvolvimento. O número reduziu após 2013, ano que precedeu o ingresso do país na recessão econômica. O Sul se mostra como a região mais desenvolvida, com 98,8% dos municípios classificados com desenvolvimento entre moderado e alto e nenhuma cidade classificada com baixo índice.

Na Arábia Saudita, mulheres podem finalmente dirigir. Até então, o país era o único do mundo que legalmente requeria que mulheres andassem de carro acompanhadas de um homem. Estima-se que essa liberação possa trazer um retorno de US$ 90 bilhões para a economia do país até 2030.

Apple pretende lançar novos AirPods em 2019, com carregamento sem fio e também com cancelamento de ruído. Além disso, a empresa estaria preparando um headphone de alta qualidade para competir atualmente com os líderes de mercado como Sony e SennHeiser. A produção deve ocorrer com a marca da Apple, e não da Beats, empresa comprada em 2014.

Após jogar 180 anos de Dota 2 todos os dias durante 3 semanas, um time de IA está pronto para enfrentar humanos. Dota 2 é um dos jogos mais populares e complexos de eSports, e seus times profissionais competem por um prêmio total de US$ 40 milhões por ano. Espera-se que o duelo seja em agosto, mas antes a IA treinará contra alguns dos melhores jogadores humanos.

A bilionária corrida espacial americana já está começando a prejudicar linhas aéreas, que estão sendo forçadas a atrasar voos. No dia do lançamento da SpaceX, por exemplo, 563 voos atrasaram e 100km foram adicionados nas rotas aéreas da região. Hoje, o país já conta com 22 locais ativos de lançamentos de foguetes.

O FDA aprovou o primeiro medicamento feito à base de cannabis nos EUA, usado para pacientes com epilepsia.




Análise da semana

Para muitos especialistas, o Instagram é o futuro das redes sociais. Já é a plataforma onde as empresas mais investem seus recursos para marketing, e a tendência é aumentar. Em setembro de 2016, o Instagram tinha 500 mil anunciantes ativos. Um ano depois, o número subiu para 2 milhões. Hoje já são 25 milhões de perfis corporativos, com mais de 80% dos usuários seguindo pelo menos um negócio.

O Instagram já está atraindo novos usuários mais rapidamente do que o site principal do Facebook e deve ultrapassar 2 bilhões de usuários em breve. Embora o Facebook já tenha ultrapassado esse marco, o público do Instagram é mais jovem, o que o torna mais atraente para os anunciantes. E, ao contrário do pai, o Instagram ainda está crescendo nos EUA.

Por sinal, já está me seguindo no instagram?

Por outro lado, estão crescendo alternativas inovadoras, como a rede Vero, que promete trazer os aspectos bons das outras redes, mas sem publicidade – algo que até agora é mandatório no setor. Com uma ideia de não controlar o que o usuário consome, o app já está entre os mais baixados para Android e iPhone.

Mas isso será o suficiente para competir com as gigantes? Difícil afirmar, mas uma coisa é garantida: o mercado de redes sociais é dinâmico, e quem se dá bem nele é quem consegue se adaptar rapidamente.

Ainda nessa semana, o fim das mídias impressas parece ter ficado mais próximo, com a troca de bastão na BH Media Group. Há 7 anos, Buffett surpreendeu o mundo ao mostrar interesse pelo setor, apostando em cidades pequenas. Como foi entregador de jornais na infância, essa sempre foi uma de suas maiores paixões. Mas agora, parece que nem ele tem mais fé.

Diversos players do setor já migraram para o online, onde está cada vez mais frequente a utilização de paywalls, que impedem usuários de lerem artigos e notícias sem pagar. Desde o final da década de 90, a receita com anúncios em meios impressos tem caído substancialmente. Em 1950, eram vendidos mais jornais do que havia de famílias nos EUA. Hoje, eles não atingem nem 20% das famílias.

— Daniel Scott

 Para ler e assistir

 

RECEBA O ARGUTIA TODA 6ª EM SEU EMAIL

PERDEU ALGUMA EDIÇÃO ANTERIOR?




Comente com seu facebook

Os comentários estão encerrados.